Misteriosos geoglifos de pedra foram localizados na Arábia Saudita


Em uma região inóspita da Arábia Saudita, denominada Harrat Kaybar, desértica e à beira de vulcões, totalmente indesejável a nossa espécie, pesquisadores australianos descobriram 400 misteriosas estruturas de pedra que podem ter milhares de anos.

Essas construções foram encontradas pelo Google Earth e apelidadas de “portões” pelos pesquisadores. Edificadas em antigas cúpulas de lava, algumas dessas formações estranhas são quatro vezes maiores em comprimento do que um campo de futebol, e, segundo David Kennedy, da University of Western Australia, o propósito e a idade real destas estruturas são desconhecidos.

Nenhum trabalho arqueológico foi efetuado na região até o presente, contudo, pesquisas anteriores já localizaram estruturas de pedra na Jordânia, com padrões geométrico e aparente significado astronômico, sendo datadas em 8.500 anos.

O fato é que se tratam de geoglifos, grandes desenhos na superfície que tem como principal característica a impossibilidade de serem vistos do solo. No caso de Harrat Kaybar, aparentemente os desenhos foram compostos por rochas sedimentares, chamados de geoglifos com relevo positivo.

Pelo mundo, temos casos parecidos como os das Linhas de Nazca (geoglifos com relevo negativo). No Brasil, esses misteriosos desenhos foram localizados na Região Norte, nos Estados do Acre, Rondônia e Amazonas.

Ficam as perguntas: Por que compor desenhos que são vistos do céu? Por que em lugares inóspitos?

Fonte: http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-4991930/Google-Earth-reveals-400-mysterious-stone-structures.html

Fonte: https://www.nytimes.com/2017/10/19/science/saudi-arabia-gates-google-earth.html

Fonte: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/as-misteriosas-estruturas-de-pedra-encontradas-com-google-earth-na-arabia-saudita.ghtml


Conheça minha campanha de financiamento coletivo Expedição alienígenas ancestrais no Brasil em www.catarse.me/andredepierre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *