Pesquisas


Teria a América sido descoberta por Colombo? O Brasil por Cabral? Ou fomos visitados por civilizações da idade antiga, muito antes de portugueses e espanhóis terem um suposto primeiro contato com os nativos? Estas perguntas foram o estímulo para que eu iniciasse minhas pesquisas em busca da verdade sobre a chamada pré-história brasileira e da América do Sul. Sabia que o tema era polêmico, uma espécie de “vespeiro” onde não é aconselhável bulir, pois o tema é ridicularizado pelo establishment e um passaporte para adversidades. Contudo, nem sempre foi assim. No final do século XIX e no início do século XX, alguns pesquisadores brasileiros haviam se debruçado sobre o tema. Esses desbravadores me apontaram a rota para iniciar meus trabalhos de campo em Bofete e Botucatu, no interior do Estado de São Paulo. Neste local, fiz descobertas importantes que ainda estão em processo de confirmação e futura publicação.

De outras partes, também arqueólogos bolivianos descobriram um prato e uma estátua com inscrições sumérias nas proximidades da ancestral cidade de Tiwanaku. Outras evidências no campo linguístico foram observadas por pesquisadores que encontraram nos idiomas dos nativos da América termos similares com línguas faladas do outro lado do Atlântico, o que sugere essa troca cultural com civilizações que vinham navegando por este oceano em um passado remoto. Enfim, tais descobertas me deram o alento por não estar pesquisando absolutamente sozinho, sendo muitas vezes hostilizado por acreditar no óbvio: que sim, grandes navios do oriente poderiam ter atravessado os cinco mil quilômetros do Oceano Atlântico até a América muito antes do século XV d.C. . Mais interessante é que o establishment que ironiza tal teoria é o mesmo que aceita polinésios atravessando por distantes doze mil quilômetros o Oceano Pacífico em pequenas canoas.

No presente, desenvolvo trabalhos de pesquisa teórica e de campo, buscando mais evidências destes contatos transoceânicos na antiguidade.

A teoria dos antigos astronautas

Muitas pessoas que leram meus livros (veja o livro Enigmas), artigos e palestras me perguntam: como uma pesquisa tão bem embasada terminou na teoria dos Antigos Astronautas ou Paleocontato?

Descobri fatos em minhas investigações que se encaixam perfeitamente no Paleocontato, mas o que é esta teoria? (veja curso sobre a teoria CLICANDO AQUI) É a hipótese de que civilizações extraterrestres com tecnologia avançada visitaram a Terra em um passado remoto influenciando nosso desenvolvimento cultural, tecnológico, religioso e até biológico. Isso responderia o principal problema dos alinhamentos: qual a tecnologia empregada para sua produção? Fato é que encontramos tal dilema em todo mundo, problemáticas estas apresentadas neste site e por muitos outros autores em diversos tipos de publicações e mídias.

Outra teoria plausível para explicar estes fenômenos seria de que uma civilização tecnológica antiga sucumbiu há doze mil anos, diante do fim da última Era de Gelo. Tal catástrofe global teria proporcionado a derrocada desta sociedade que detinha tecnologia para realizar tais feitos. Após o cataclismo, alguns sobreviventes mantiveram viva esta cultura antiga, o que possibilitou o ressurgimento da civilização após seis mil anos de reconstrução.

Mitos? Verdades? Somente pesquisando é possível sacramentar tais teorias ou desmistificá-las, sendo estes os objetivos finais da pesquisa (veja a páginas Expedições). Fato é que a história comumente ensinada está cheia de lacunas que precisam ser preenchidas.


Para saber mais e contato para palestras clique aqui.


 

Conheça minha campanha de financiamento coletivo Expedição alienígenas ancestrais no Brasil em www.catarse.me/andredepierre